WEB RÁDIO JESUS A VIDA

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

PREFEITURA DIZ QUE É INOCENTE DIANTE DE DENUNCIA!!!

Nota de esclarecimento: Situação apresentada pela ACIJ ao MPE

JEQUIE -BAHIA, SOB TEMPESTADE
A Prefeitura Municipal de Jequié disse que as denúncias não são verídicas as imputações feitas pelo presidente da Associação Comercial e Industrial de Jequié - ACIJ, especialmente de que há "esquema de falcatruas no processo licitatório do provedor do setor de tributos", consiste na negativa de acesso à informações do edital e do "certame licitatório à empresas que teriam interesses, burlando assim, o caráter competitivo da Lei nº 8.666/93", razão pela qual, "há fortes comentários no meio político e empresarial <...> de que a licitação do Edital 108/14 é uma farsa para encobrir fraude visando a beneficiar o IMAP, que já possui outros contratos suspeitos na atual gestão", assim como, "de que um dos sócios do IMAP <...> é advogado da prefeita Tânia Britto". Em verdade, o processo licitatório nº108/2014 foi instaurado com ampla publicidade realizada na edição nº 206 no Diário Oficial do Município, disponível na rede mundial de computadores em: https://www.ipmbrasil.org.br/visualizar-publicacoes?cod=961&file=106014AB895BA8A7E9D2BF4307AA0BC8&action=open e em jornal de grande circulação no Estado da Bahia (CORREIO), tendo o edital sido entregue a 06 (seis) empresas do ramo, sem que qualquer delas tenha apresentado impugnação à exigência editalícias, conforme recibo de entrega do edital, ora anexado. Do mesmo modo, cumpre esclarecer que até o momento o IMAP não possui qualquer contrato com o Município de Jequié/BA, assim como qualquer de seus associados não possuem contrato para patrocínio de ação judicial em que a prefeita Tânia Britto seja parte. Ademais, ainda que tivesse, tal circunstância não constituiria fato impeditivo para a citada instituição participar de licitação no Município de Jequié/BA, pelo que a denúncia apresentada se afigura tão vazia que se baseia, apenas, em "fortes comentários no meio político e empresarial em nossa cidade", sem apresentar (ou indicar) qualquer prova que dê respaldo às imputações. Vê-se que a preocupação da denúncia é enaltecer a eficiência do sistema tributário atualmente contratado, destacando suas qualidades e seu baixo preço de R$ 22.000,00, face ao novo sistema que se pretende contratar com a suposta função de "simples sistema de emissão de guias e notas fiscais". A simples análise desta imputação revela a impossibilidade de se fazer críticas de sistema que, sequer, foi contratado e implantado no Setor de Tributos da Prefeitura Municipal de Jequié. Ao contrário disso, o referido sistema foi objeto de amostra técnica, durante a fase própria da licitação, com aprovação do órgão responsável pela sua aferição e requisitos indispensáveis às tarefas do Setor Tributário. Por outro lado, o presidente da Associação, ora Denunciante, não exerce qualquer função no Setor Tributário, não acompanhou os procedimentos da licitação, nem se fez presente, como cidadão, na sessão de julgamento do certame, hipótese que, inviabiliza qualquer avaliação da ferramenta.

Postado do Blog de Júnior Mascote:
 

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

DEIXE DE SER TROXA: QUEM É INTELIGENTE NÃO ATRAPALHA O DEFICIENTE!!!

ADEFIJ lança campanha contra quem estaciona em rampas para deficientes


ADEFIJ lança campanha contra quem estaciona em rampas para deficientes
ADEFIJ lança campanha contra quem estaciona em rampas para deficientes
A ADEFIJ - Associação dos Deficientes Físicos de Jequié lançou uma campanha denominada de “Multa Cidadã/Multa Moral”, com o objetivo de denunciar os motoristas de Jequié que infringem a lei estacionando nas rampas e estacionamentos destinados a portadores de necessidades especiais. "Em Jequié, resolvemos ampliar nossa “fiscalização” com a ajuda de nossos amigos, parceiros, fiscais voluntários, para além das vagas de estacionamento e rampas, pela quantidade de reclamações recebidas por nossa OUVIDORIA SOCIAL nas áreas de saúde, educação, trânsito, serviços públicos, direitos humanos, meio ambiente, etc. - disse Evando Sérgio Brandão, Cadeirante e Coordenador do Núcleo de Apoio a Pessoa Com Deficiência do OBSERVATÓRIO SOCIAL - JEQUIÉ. 
A infração acarreta um a multa de R$ 53,20 e a perda de 3 pontos na CNH.
ASSAÍ JEQUIÉ: FLAGRANTE DE SANDOVAL "O PROTESTANTE"

Postado do Blog de Júnior Mascote:


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

CIDADE DO PROGRESSO: APRIMORANDO GOLPES?!

Associação acusa prefeita de Jequié de beneficiar empresa em licitação

PREFEITA DE JEQUIÉ, BAHIA, BRASIL: DRª TÂNIA BRITTO

A Associação Comercial e Industrial de Jequié (ACIJ) vai pedir ao Ministério Público que investigue a prefeitura de Jequié. A entidade acusa a prefeita Tania Britto de beneficiar empresa em um processo licitatório. De acordo com a Acij, Instituto Municipal de Administração Pública (IMAP) irregularmente.  O IMAP é uma associação civil de profissionais da gestão pública, sem fins lucrativos, contratada para dinamizar as contas das prefeituras. Segundo a associação, um sistema operacional para a prefeitura que custava R$ 22 mil por mês passará a R$ 48 mil pelo mesmo prazo.

Segundo a ACIJ, até o ano de 2010, o setor de tributos da prefeitura possuía apenas um sistema de geração de guias, recebíveis apenas em estabelecimentos lotéricos e no Banco Itaú; o sistema operacional não controlava acessos e nem rastreava as operações de quem utilizasse o aplicativo; isso era uma porteira aberta para a prática de ilícitos funcionais. Assim, prefeitura lançou licitação, quando naquela oportunidade foi extremamente exigente quanto ao recurso tecnológico a ser adquirido. Três empresas adquiriram o edital, sendo a vencedora contratada através do instrumento nº 694/2011, e posteriores aditivos.

O setor de compra da prefeitura teria negado o acesso a informações do edital, bem como do certame licitatório às empresas interessadas, o que despertou para irregularidades. Para a ACIJ, a ação visa beneficiar o IMAP que já possui outros contratos suspeitos na atual gestão. A associação ainda pontua que um dos sócios do IMAP já fora assessor jurídico contratado pela prefeitura de Jequié e é advogado da prefeita Tânia Britto. 
 

Postado no Portal de Notícias Boção News:

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

SANGUE DE JESUS NÃO SALVA NINGÚEM, DIZ CAMPANHA DO GOVERNO!


Campanha do Governo de doação de sangue com o slogan “O Sangue de Jesus não salva ninguém!” causa polêmica no Facebook! Será verdade?
A imagem apareceu em uma das fanpages mais populares no Brasil, a Admiradores da Rachel Sheherazade (página criada em homenagem a uma jornalista que trabalha no SBT), no dia 13 de janeiro de 2015 e mostra o que parece ser uma propaganda com o símbolo do Governo Federal, com palavras de incentivo à doação de sangue.
O que causou polêmica na imagem é a frase:
“O SANGUE DE JESUS NÃO SALVA NINGUÉM, MAS O SEU SIM DOE SANGUE.”
A publicação teve milhares de compartilhamentos e outros milhares de comentários de usuários indignados com a campanha considerada desrespeitosa, mas será que isso é verdade?
Campanha de doação de sangue criada pelo Governo tem slogan polêmico! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)
Campanha de doação de sangue criada pelo Governo tem slogan polêmico! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Verdade ou farsa?

A imagem é uma montagem feita em cima de um panfleto do Governo Federal, de 2011. A foto original é fácil de encontrar na web:
Propaganda original, de 2011! (foto: Divulgação)
Propaganda original, de 2011! (foto: Divulgação)

Doe Sangue

Aproveite o assunto para aprender o que é necessário para doar sangue e ajude outras pessoas! 


Conclusão!!!

A imagem é falsa! Tome muito cuidado ao espalhar notícias que são veiculadas em fanpages populares no Facebook. Muitas vezes, você pode estar repassando mentiras sem saber!



Postado do Blog E-Farsa:


http://www.e-farsas.com/sangue-de-jesus-nao-salva-ninguem-diz-campanha-governo.html

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

#TRAIÇÃO: GOVERNADOR "RUIM" COSTA COMEÇOU MOSTRAR PRA QUE VEIO! ACABAR COM JEQUIÉ!





O governador Rui Costa (PT) sacramentou a nomeação dos coordenadores dos 09 Núcleos Regionais de Saúde, criados por ele dentro da política que culminaram na extinção das Diretorias Regionais de Saúde - DIRES. A partir de agora, em relação à saúde, Jequié passa a ser subordinado à cidade de Itabuna. A DIRES coordenava atividades em 26 municípios. Perder a autonomia no âmbito estadual é o primeiro grande golpe que o setor da saúde pública sofre em 2015, depois de tempos muitos difíceis, marcados com o fechamento de dois hospitais: São Vicente e Servir; e do PA 24 Horas do Campo do América e de dificuldades outras a partir da diminuição do número de leitos do SUS, além de outros problemas ocasionados pela lentidão das obras (hoje paralisadas) de ampliação do Hospital Geral Prado Valadares, que passou a oferecer serviços de urgência e emergência de forma improvada depois da demolição do pronto socorro para a liberação do espaço para as novas obras.

Lamentavelmente, estão riscando Jequié do mapa.

Postado do Blog Jequié e Região:
:: Jequié e Região ::

domingo, 18 de janeiro de 2015

A QUEM DEVEMOS DIRIGIR NOSSA INDIGNAÇÃO? A UM PAÍS QUE TEM LEIS E AS CUMPRE OU A NOSSO QUE AS DESPREZA?

Dura lex, sed lex! Ou Nossa indignação com a Indonésia é justa?


A execução do brasileiro Marco Archer, ocorrida na Indonésia onde, em 2004, tentou ingressar portando 13 quilos de cocaína dentro de um tubo de sua asa-delta, demonstra que nem todos os países são lenientes com suas legislações. 
A pena capital, que é admitida no Brasil caso o país esteja em guerra e haja traição, é rechaçada por entidades internacionais de direitos humanos. Ainda assim, existem diversos países, dentre eles os Estados Unidos, que a admitem, principalmente em crimes de grande repercussão. Na Indonésia, desde 64, o tráfico de drogas é punido com a morte. 
O brasileiro assumiu esta possibilidade de ser condenado á morte ao tentar, mais uma vez, entrar no país asiático, cuja população em sua esmagadora maioria é mulçumana, portando drogas em grande quantidade. Não pode alegar desconhecimento das leis locais. E mesmo que alegasse, nada adiantaria. Assim como no Brasil, ninguém pode alegar desconhecimento das Leis em justificativa a delitos cometidos.
Então, se tudo isso estava claro e não restam dúvidas sobre a soberania do país, por que o estado brasileiro insiste em se dizer indignado e profundamente ofendido com o cumprimento da Lei Indonésia?
Simples, somos uma nação leniente! 
A cultura brasileira é a cultura do jeitinho. Onde todas as coisas podem ser resolvidas da melhor maneira, desprezando-se o que diz a legislação. Não é incomum no Brasil que leis sejam desrespeitadas ou até mesmo descumpridas por quem deveria delas zelar. 
São Juízes que dão “carteiradas”, autoridades que pronunciam sem cerimônia a celebre frase: “Você sabe com que está falando?” De forma natural e como se fosse a coisa mais comum do mundo.
Ao esbarrar com a prisão, da qual tentou fugir durante dois meses, o brasileiro Marco Archer tinha em mente que, no fim tudo se resolveria com uma “carteirada diplomática”. Pensava que haveria uma mobilização nacional em torno do seu drama. Ledo engano.
Uma matéria de Veja, assinada pelo jornalista Renato Antunes de Oliveira, demonstra que os brasileiros eram contumazes na ponte aérea Rio-Bali e que, sem nenhum pudor o receio pela pena de morte que os esperava, “Eles confessaram ser traficantes tarimbados. E demonstraram, sim, algum arrependimento, mas só por ter embalado mal a droga que levavam em seus equipamentos esportivos, permitindo a descoberta pela polícia. Ela pegou Rodrigo com seis quilos escondidos em suas pranchas de surf, em 2004. E Marco com 15 na sua asa delta, em 2003” 
A revelação da matéria de Veja é contundente. 
O tráfico de drogas é responsável pela morte de milhares e milhares de pessoas em todo mundo. No Brasil, cresce o consumo de drogas sintéticas e de cocaína. Esta última velha conhecida das baladas frequentadas de forma assídua pelos dois brasileiros que foram pegos ao tentar desembarcar na Indonésia e, após passarem sem grandes dificuldades pelos aeroportos brasileiros. 
Assim, mesmo à revelia dos constantes protestos da Presidência de República, dos diversos grupos de defesa dos direitos humanos e de todos que simpatizam com os protagonistas desta bad trip, é impossível acusar a Indonésia de cerceamento de defesa, falta de julgamento justo ou isenção no processo jurídico que culmina na condenação dos traficantes.
São personagens que levaram drogas e destruição a dezenas, se não milhares, de pessoas. Faziam suas viagens de tráfico simplesmente por vantagens financeiras. Quando foi flagrado em 2004, Marco Archer alegou que receberia 10 mil dólares caso lograsse êxito na entrega da encomenda. 10 mil dólares!
Outro ponto interessante: Se a fiscalização e o combate ao tráfico de drogas fossem eficazes no Brasil, como se demonstraram eficazes na Indonésia, os brasileiros não teriam saído do país com 15 e 6 quilos de cocaína respectivamente. Se aqui fossem presos seriam julgados pelas frouxas leis brasileiras e, certamente, voltariam a ativa de forma rápida. O Brasil falhou!
Assim, assistimos dois tristes espetáculos: A humilhante cena montada pelo governo brasileiro que, de forma atrasada e sem sentido, tentou atuar sobre a soberania da Indonésia, inclusive com ameaças de retaliação e, a vergonha de ver que somos uma nação acostumadas a descumprir leis e, pior ainda, nos revoltamos quando os outros as cumprem.
Triste história!
Não está longe ainda a cena, não menos lamentável, da presidente da república em plena Assembleia das Nações Unidas fazendo um pronunciamento em prol de terroristas que decapitavam jornalistas. Na ocasião, a presidente pediu diálogo com os assassinos de jovens profissionais. Indignou o mundo demonstrando quão sem noção é o governo brasileiro. Não satisfeita, volta a carga, Desta vez dedica-se a defender traficantes e a desafiar a soberania de um estado constituído e de direito!
Resta perguntar: A quem devemos dirigir nossa indignação? A um país que tem leis e as cumpre ou a nosso que as despreza?

Por  Jorge Andrade

Postado do Blog Visão Cidade:
< Visão Cidade >

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

PREFEITURA COMETE ASSASSINATO NO MUSEU...

Coluna Jorge Barro: a morte do museu histórico de Jequié

Coluna Jorge Barro: a morte do museu histórico de Jequié
        Coluna Jorge Barro: a morte do museu histórico de Jequié
O Museu Histórico de Jequié está morto. Morto porque nenhuma funcionalidade tem; está em estado de degradação, de abandono. Em sua frente, há meses, uma placa com dizeres politicamente incorretos justificando o seu fechamento para reforma. Que reforma? Projetado para ser o espaço do resgate e da preservação da memória histórico-social de Jequié, na administração do prefeito Reinaldo Pinheiro, ele (o Museu) precisa, urgentemente, ser resgatado (ressuscitado). O acervo que lá se encontra (em que estado?) foi adquirido, a duras penas, por um grupo de pessoas que têm consciência de que uma sociedade que não preserva a sua memória não tem identidade histórico-social, não valoriza os seus vultos políticos, bem como não tem um projeto de educação e cultura comprometido com o homem e o seu meio. O registro da própria história, em si, já se constitui numa produção de conhecimento, de valores e de referências. Neste texto, ressalta-se com muita ênfase, o trabalho dedicado e persistente do jornalista Raimundo Meira para que o museu fosse criado. A atual gestão municipal, norteada pela negligência e irresponsabilidade, não tem consciência do crime que pratica contra o nosso patrimônio. O acervo, constituído de peças, objetos, documentos, registros, fotos, jornais, obras artísticas etc, que se encontra no museu, está se deteriorando, vítima fatal de cupins, de traças, de baratas, da ação da umidade do ar, da poeira e da chuva. Uma foto registrada na década de 1920, por exemplo, perdida, jamais será recuperada. Voltar no tempo para obtê-la novamente, impossível. Educadores, estudantes, artistas e a comunidade em geral precisam refletir sobre isso, reagirem contra isso. O grande ativista negro de causas sociais, Martin Luther king, dizia: "O que me incomoda não é o grito dos maus, e sim o silêncio dos bons". E quando os bons silenciam, os maus reinam. Em breve, na internet, a volta do MUSEUFACEBOOK e do MUSEU PARA INTERNAUTA - um mergulho na história e uma viagem no tempo, através de recortes da memória.
PROFESSOR - JORGE BARROS
Presidente da Comissão de Mobilização
Em Defesa da Criação da UNERC.

Postado do Blog de Júnior Mascote:

http://www.juniormascote.com.br/noticias/coluna-jorge-barro-a-morte-do-museu-historico-de-jequie-18986/

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

PORQUE A GRANDE MÍDIA ESCONDE QUE O ISLAMISMO TEM A PREGAÇÃO DE ÓDIO E MORTE CONTRA CRISTÃOS E JUDEUS???

O Alcorão e o terrorismo islâmico


Sempre que terroristas muçulmanos realizam atentados, a grande mídia sai em defesa do islamismo. Isso ocorreu logo após o ataque às torres gêmeas, em Nova York (EUA), em 2001, e tem ocorrido na atualidade. Há alguns dias, depois dos ataques ao jornal Charlie Hebdo e a um mercado judeu, em Paris (França), a grande mídia tratou logo de dizer que o islã é uma religião de paz e amor e que é preciso combater a islamofobia.

Muitos afirmam que os muçulmanos violentos são uma pequeníssima minoria. E argumentam que os grupos terroristas, como Estado Islâmico (ISIS), Boko Haram, etc., seriam para o mundo islâmico o que a Ku Klux Klan é para a sociedade cristã. Entretanto, os terroristas muçulmanos citam versículos do Alcorão e as tradições de Mohamed para justificar os seus atos. Já o Ku Klux Klan, quando comete um ato de violência racial, está, na verdade, afrontando os ensinamentos de Jesus Cristo.

Na Bíblia, no Antigo Testamento, há casos episódicos em que Deus ordenou que judeus destruíssem certas cidades, mas em nenhuma parte da Bíblia Sagrada vemos ordens gerais para o povo de Deus lutar contra os pagãos e impor a eles a sua fé. No Novo Testamento, não há nenhum incentivo à violência contra os não-cristãos. Pelo contrário, o Senhor Jesus ordena que os cristãos amem seus inimigos (Mt 5.38-48).

O Alcorão claramente incentiva os muçulmanos a lutarem e a matarem os que se opõem ao islã: “matai-os onde quer que os encontrardes [...] e lutai contra eles até que não haja mais tumulto e opressão; que prevaleça a justiça e a fé em Allah” (Sura 2.190-3). “E se tu fores assassinado ou morrer, no caminho de Allah, o perdão e a misericórdia de Allah serão muito melhores do que todas as recompensas que poderias ajuntar. E se morreres, ou fores assassinado, ó, é para junto de Allah que serás levado” (Sura 3.157-8).

Veja de onde vem o incentivo para os terroristas islâmicos mutilarem e decapitarem pessoas: “Feri-os do pescoço para cima, e arrancai as pontas dos seus dedos. Isto por terem resistido a Allah e seu Mensageiro. Se houver qualquer relutância contra Allah e seu Mensageiro, Allah será severo em sua punição” (Sura 8.12-3). E ainda: “quando encontrardes os incrédulos, feri os seus pescoços; e então, quando os tiverdes subjugado por completo, amarrai-os com firmeza” (Sura 47.4).

Segundo o Alcorão, os judeus e os cristãos — chamados de os Povos do Livro — devem ser mortos: “Lutai contra aqueles que não acreditam em Allah nem no Último Dia [...] e que não conhecem a Religião da Verdade, dentre os quais os Povos do Livro” (Sura 9.29). E quem deixa o islamismo também é digno de morte: “mas àqueles que se tornarem renegados, persigam-nos e matem-nos onde quer que os encontrardes” (Sura 4.89).

Qualquer pessoa ou grupo de pessoas que se oponham ao islã, no campo das ideias, e critiquem Mohamed (Maomé) são dignos de morte, de acordo com o Alcorão. Em Sura 4.101 e 5.33 lemos: “Os incrédulos são para vós inimigos declarados”; “A punição para aqueles que lutam contra Allah e seu Mensageiro, e que lutam com poder e força para causar danos à terra é: a execução, ou a crucificação, ou a mutilação das mãos e dos pés de lados opostos, ou o exílio da terra: que a sua desgraça neste mundo e a punição severa se aplique a eles daqui por diante”. Não é isso que têm feito a Al-Qaeda, o Estado Islâmico, o Boko Haram e outros grupos islâmicos?

Muitas outras passagens incentivam a violência e o terrorismo em nome de Allah: “lutai e matai os pagãos onde quer que os encontrardes, apanhai-os, cercai-os, e esperai por eles fazendo uso de todos os estratagemas” (Sura 9.5); “Não penseis naqueles que são mortos no caminho de Allah como se estivessem de fato mortos. Não, eles vivem, encontrando seu amparo na presença de seu Senhor” (Sura 3.169); “Aqueles que [...] lutaram ou foram mortos — verdadeiramente, Eu eliminarei deles as suas iniquidades e os admitirei em Jardins dotados de rios que jorram — terão a presença de Allah como recompensa” (Sura 3.195).

Como se vê, o Alcorão está recheado de ordens gerais contra os que rejeitam as imposições do islamismo, as quais incentivam e abonam a violência. Seria honesto, nesse caso, afirmar que o islamismo é uma religião de paz e amor? Seria coerente dizer que o islã é vítima de preconceito em um mundo em que a religião mais perseguida e massacrada é o cristianismo, cujos principais algozes são os muçulmanos? Afinal, por que se fala tanto de islamofobia, se o que mais existe, na atualidade, é a cristofobia?

Ciro Sanches Zibordi

Postado do Blog do Pastor Ivan Pereira:
Pr. Ivan Pereira

sábado, 10 de janeiro de 2015

TERRORISMO E COERÊNCIA NÃO COMBINAM.

O PT e Charlie Hebdo

Por Ruy Fabiano
KADAF, EVO MORALES & LULA

O que ocorreu em Paris fere a conquista mais preciosa da humanidade, que é o direito de se manifestar. Alega-se que o cristianismo teve seu tempo de trevas na Idade Média. Pois é: quantos séculos faz? Estamos em pleno século 21

Terrorismo e coerência não combinam. Caso contrário, os energúmenos que enxergam agressão numa piada, por mais abjeta, veriam que é incomparável, sob todos os aspectos, com o que eles mesmos promovem em terras muçulmanas contra cristãos.

Mais de cem mil cristãos – incluídas aí crianças - são assassinados por ano no mundo muçulmano pelo simples fato de que são cristãos. Não fazem proselitismo, não hostilizam, não fazem piada, nem muito menos constroem templos. Apenas têm outra crença. É o bastante.

Somente em Paris, há mais de cem mesquitas – grande parte construída nesta Era em que o Ocidente é alvo de atentados e hostilidades, sob pretexto religioso -, sem que se impeça ou constranja alguém de frequentá-las (a partir de agora, e em decorrência do que aconteceu na quarta-feira, já não se sabe).

O atentado tem força simbólica maior que os inúmeros que o precederam nos últimos anos em todo o Ocidente. O alvo foi a liberdade, personificada numa revista de humor. Nesses termos, é ainda mais chocante que o das Torres Gêmeas de Nova York, que atingiu o coração financeiro do capitalismo.

O que ocorreu em Paris fere a conquista mais preciosa da humanidade, que é o direito de se manifestar. Alega-se que o cristianismo teve seu tempo de trevas na Idade Média. Pois é: quantos séculos faz? Estamos em pleno século 21. De lá para cá, muito sangue correu para que jornais pudessem circular livremente.

O Charles Hebdo já ridicularizou padres, pastores e rabinos, e nenhum apontou nem sequer um estilingue contra a revista.

Comentou-se a pouca ênfase com que o governo brasileiro repudiou o episódio, sem falar no silêncio de entidades diretamente ligadas às vítimas – Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), por exemplo.

Outras, como PT e CUT, por meio de alguns de seus militantes, procuraram atribuir, nas redes sociais, a responsabilidade às próprias vítimas. É compreensível.

É para essa gente – os que representam os algozes – que a diplomacia brasileira (e bolivariana) tem direcionado seus interesses na Era PT. Foi Lula quem trouxe para cá, e o recebeu com tapete vermelho, o sanguinário ditador iraniano Mahmoud Ahmadinejad, que proclamava seu propósito de banir Israel da face da terra.

Foi ele também que comparou atos repressivos homicidas no Irã, em retaliação a protestos contra fraudes eleitorais, a uma briga de torcida entre Flamengo e Vasco.

Dispôs-se a mediar, num lance cômico – que o Charlie Hebdo, se lhe desse importância, teria ridicularizado -, os conflitos do Oriente Médio. Lula, como se recorda, invocou seus dons de sindicalista para resolver um conflito imemorial, que transcende a capacidade de compreensão (e solução) da humanidade.

Pior: pretendeu resolvê-lo em favor de uma das partes, o que desfaz o sentido d o verbo mediar. Em Israel, recusou-se a visitar o monumento ao fundador do sionismo, Theodor Herzi, gesto diplomático que nenhum chefe de Estado, em visita ao país, recusa fazê-lo. Já Dilma, no final do ano passado, num igualmente ridículo discurso na assembleia da ONU, condenou as retaliações militares aos degoladores do Exército Islâmico, propondo diálogo.

Sua proposta, quem sabe, poderia agora ser recolocada à polícia francesa e às famílias das vítimas.

O tom da diplomacia petista, que transformou o Itamaraty de órgão de Estado numa célula partidária, é de hostilidade aos Estados Unidos e à União Europeia. Ao Ocidente. E de franca simpatia a governos que promovem e acobertam atos como os que estarreceram o mundo na quarta-feira.

A diplomacia do PT definitivamente não pode repetir com o mundo civilizado: “Je suis Charlie”.

“Je suis un chrétien.

Postado do Blog Genizah:
Genizah

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O GOLPE DA TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA DO BRADESCO, ETC & TAL

Urgênte! Urgênte! Cuidado com o Golpe do "Falso Pastor"


E, tudo começa da seguinte forma, uma pessoa se dizendo “pastor”, usando o Celular nº (11) 94307-4884, liga para um amigo nosso e lhe conta a seguinte estória.
Pastor Fulano de Tal, meu nome é “IDELIR GERALDO” da Assembleia de Deus, da Cidade de Suzano – São Paulo, sei que o senhor é o Presidente do Campo nesta cidade (Próxima), e lhe fala que um “presbítero” seu que tem mais de 20 anos que não faz contato com familiares na cidade do Pastor Fulano de Tal, contudo o referido Presbítero e sua esposa estiveram antes procurando outros parentes na Cidade de Adustina – Bahia, ao passo que ficaram alí por três dias, e ao “saírem” para a cidade (próxima) tiveram “problemas” com o Cartão Itaú com o qual “pagariam” as despesas.
Neste momento, o suposto pastor “IDELIR GERALDO” solicita ao Pastor Fulano de Tal a sua ajuda para resolver o mencionado contratempo, pois Cartão Itaú do seu Presbítero foi “bloqueado” e ele solicita a intermediação para fazer uma Transferência Bancária do Bradesco para a Conta do Suposto Presbítero RUDNEY BAXTO DE MIRANDA (https://www.facebook.com/rudney.baxto?fref=ts– Titular da Conta Corrente nº 6868-3 Agencia do Bradesco de Suzano nº 0100. Alegando o tal "Pastor" “IDELIR GERALDO” que havia problemas de Comunicação no Sistema Bancário na Região de Suzano – SP.
Que, o Pastor Fulano de Tal, não podendo atende-lo, haja vista que os Caixas Eletronicos estavam inoperantes em função de Explosões feitas por marginais o “IDELIR GERALDO”  solicitou o nome de um pastor da Cidade mais próxima que ele pudesse estabelecer um contato e que fosse possível realizar a mencionada transferência e que fosse uma pessoa do meio evangélico por questão de segurança na operação. (O suposto pastor “IDELIR GERALDO” fazia uma conversação com muita segurança, como se fosse do meio evangélico, fazendo inclusive citações bíblicas, com voz branda e com muita gentileza, falando inclusive de estreitamento de relações com troca de e-mail e whatsapp).
E, que o Pastor Fulano de Tal, na intensão de ajudar ao tal Presbítero em dificuldades, indicou o nome e o celular de contato de uma pessoa de sua confiança na Cidade de Jequié, e que passou os fatos ocorridos, inclusive dizendo não conhecer o tal pastor “IDELIR GERALDO” que, momentos depois fez o contato e que em atenção a  referida solicitação se deslocou a Agencia Central do Bradesco observou que havia um crédito no valor acertado de R$ 980,00 (Novecentos e Oitenta Reais) na Conta indicada para a mencionada transação de Transferência para o sr. RUDNEY BAXTO DE MIRANDA, porém NÃO SE certificando através de IMPRESSÃO DE ESTRATO BANCÁRIO, pois por uma coincidência havia um cidadão na agencia com um “problema” semelhante onde a suposta transferência estaria bloqueada.
Foi neste momento que o elemento “IDELIR GERALDO” instruiu o Cidadão de Jequié – Bahia a efetuar a UTILIZAÇÃO de um Crédito Pessoal, ADIANTANDO assim a transferência para ajudar o “presbítero” em dificuldades em Adustina – Bahia, passando também um Celular de Contato com Rudney, sendo (11) 95907-7519.  
E, que finalizando, NA VERDADE NÃO PASSOU DE UM GOLPE DE TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA que neste caso foi no Valor de R$ 460,00 (Quatrocentos e Sessenta Reais), por não dispor de valor igual ao solicitado por parte do cidadão que se dispôs a intermediar na transação, e os contatos foram realizados no dia 28/12 (Domingo) iniciaram as 11:13h e finalizaram as 17:22h. Sendo que, só na segunda-feira de fato percebeu que a importância de R$ 980,00 (Novecentos e Oitenta Reais) não foi contabilizado!

POR TANTO, VEJA SEMPRE O EXTRATO BANCÁRIO PARA SE CERTIFICAR SE ACONTECEU UMA (TRANSFERÊNCIA OU DEPÓSITO) EM TERMINAL DE AUTOATENDIMENTO.

P.S.: SEGUINDO ORIENTAÇÃO, FAÇA SEMPRE O BOLETIM DE OCORRÊNCIA E INFORME NA SUA AGENCIA BANCÁRIA SOBRE O GOLPE E PEÇA O BLOQUEIO DA CONTA DO GOLPISTA PARA QUE HAJA MONITORAMENTO E UM POSSÍVEL ESTORNO DE CRÉDITO.