WEB RÁDIO JESUS A VIDA

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

NOTA DE ESCLARECIMENTO À SOCIEDADE JEQUIEENSE DO SOLDADO GILVAN


Caros amigos da imprensa, militares e sociedade Jequieense


Nos últimos dias, vem sendo divulgados nos mais diversos meios de comunicação tais como sites, blogs e até mesmo em algumas emissoras de rádio da nossa cidade, uma informação equivocada de que teria sido publicada a demissão do Soldado Gilvan das fileiras da Policia Militar.
Acontece que essa informação não procede, pois segue a uma publicação na minha pagina do facebook, onde informo que “teria sido condenado à pena de demissão, solicitando a anistia administrativa para os policiais militares”. Com isso, fui condenado, porém não demitido, pois a sentença passa pelo crivo do comandante Geral da Policia Militar.

Vejamos:

Logo depois do movimento de greve da policia militar, ocorreu a prisão de 08 (oito) militares da cidade de Jequié, onde permaneceram seis presos aqui no 19ºBPM e o Soldado Gilvan outro militar ficaram presos no 9º BPM da cidade de Vitória da Conquista por 27 dias.

Após a liberdade, foi aberto um Processo Administrativos Disciplinar (PAD), com acusações de supostos crimes militares. Uma comissão composta por três oficiais da corregedoria da Policia Militar foi encarregada da apuração, que teve o julgamento no dia 10 de Maio do corrente ano, tendo como parecer do julgamento o pedido de demissão do Soldado Gilvan e punição disciplinar para os demais militares por dois votos contra um em uma votação aberta na sala de audiência da Corregedoria da Policia Militar em Salvador.
Inconformados com o parecer da comissão, imediatamente a APPM-BA (Associação de Praças da Policia Militar) juntamente com os acusados diretores da entidade, se reuniram com o Comandante Geral da Policia Militar, expondo da forma tendenciosa em que o processo teria sido apurado, pois, os próprios encarregados apontavam que “não restaram nada provado nos autos”, e mesmo assim, poderiam as punições.

Foi claramente evidenciado na apuração, que os encarregados agiram com total tendência e parcialidade, com o intuito de proteger o ex-comandante do 19º BPM, que fizera acusações falsas e caluniosas aos policiais militares, sem provas, motivo esse que levaram as prisões após a greve.
Em visita a cidade de Jequié e em outra oportunidade na cidade de Vitória da Conquista, o comandante Geral Coronel Alfredo Castro informou que “não haverá demissões em lugares em que o movimento teria sido pacifico ordeiro e sem violência” citando a situação dos policiais de Jequié.

No mês de novembro, a APPM BA juntamente com o vereador eleito Soldado Gilvan participou de encontro com o vice-governador Otto Alencar, e novamente abordou o tema da “Anistia administrativa” para os policiais militares que participaram de forma pacifica da greve, onde o mesmo disse que não irá medir esforços para buscar a anistia para os militares.
Com isso, estamos aguardando a decisão do comandante geral, e tudo o que for divulgado diferente dessas informações serão meras especulações.

Forte abraço,
Soldado Gilvan – Vereador
“A luta continua por Jequié”

Postado no Portal RIUS:
http://rius.com.br/artigo.php?sessao=Noticias&categoria=Jequie-e-Regiao&titulo=Nota-de-esclarecimento-a-sociedade-Jequieense-do-Soldado-Gilvan&id=13518 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito agradecido pela sua visita. Deus o abençoe.