WEB RÁDIO JESUS A VIDA

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

NÃO TOCAR NOS UNGIDOS!

Não tocar nos ungidos!??




A interpretação correta do texto: "Não toqueis, disse, nos meus ungidos”. O que realmente significa a passagem de Salmos 105:15?

Em primeiro lugar se refere, no contexto, a Abraão e à sua descendência em sua etapa inicial como “os ungidos”, não a um líder em particular. Nesse caso uma aplicação moderna da passagem seria que não se deve tocar em qualquer membro do povo de Deus.

Mas o que significa “tocar”? Bem, a passagem foi dada para que as poderosas nações vizinhas do povo hebreu, até então um pequeno grupo de nômades, não o saqueasse, o matasse ou o roubasse, enquanto seguia em suas peregrinações. “Tocar” significava, no contexto, não prejudicar fisicamente a Abraão e a família. Isso é tudo o que diz a passagem, e se nos damos conta, isso não tem nada a ver com a proibição de confrontar, repreender, denunciar, questionar ou afastar-se de um líder religioso que torce os ensinamentos de Cristo.

Aprendamos isso: A Bíblia nos permite tanto questionar os ministros, como também confrontá-los, quando vemos que há um sério erro doutrinário ou da ética em suas vidas.

Isso está claramente estabelecido na Palavra de Deus:
- “Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente para que sejam sãos na fé” (Tito1:13).
- “Que pregues a palavra; que instes a tempo e fora de tempo; redarguas, repreende, exorta com toda paciência e doutrina” (2 Timóteo 4:2-3)
- “Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficásseis em Éfeso para advertires a alguns, que não ensinassem outra doutrina” (1 Timóteo 1:3)

De fato, não somente temos o direito de questioná-los. Temos também o direito de abandoná-los e sair de sua esfera de influência caso se recusem a corrigir a sua conduta imoral ou ensinamentos torcidos. Leiamos o que Cristo ensina a respeito:
- “Deixe-os; são condutores cegos; ora se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova” (Mateus 15:14).


Por exemplo, Paulo falou do obreiro Demas, que o desamparou, amando o mundo (presente século), em 2 Tm 4.10; falou dos falsos apóstolos, em 2 Co 11 e 12; falou dos desordenados, faladores, aos quais CONVÉM TAPAR A BOCA (Tt 1.10,11), etc., etc.
Então, queridos irmãos, apresentar os erros, que podem prejudicar muita gente, caso nos omitamos, é não só decente, como correto à luz da Bíblia. Muitos ficam atrás dessa capa do "não julgueis", que nada tem que ver com o assunto em questão.
Julgar ali, em Mt 7.1, é caluniar. Julgar significa analisar, e é EXERCER DISCERNIMENTO, e não ser enganados por FALSOS PREGADORES, FALSOS PASTORES, FALSOS MILAGREIROS, etc.
O próprio Senhor Jesus disse: "ACAUTELAI-VOS DOS FALSOS PROFETAS..." (Mt 7.15ss).
Tocar significa: tocar, alcançar, golpear, alcançar, ferir.
A Bíblia é a palavra de Deus, a palavra de Deus é a verdade, e contra a verdade nada prevalece. Enquanto a pessoa prega a palavra, mesmo que alguém pense em levantar não consegue porque a verdade é ímpar. Deus sempre velou por sua palavra, e sempre recusou acréscimos a ela.
Naquela época alguns modificavam a palavra, e eram detectados porque os irmãos eram instruídos e analisavam as pregações e refutavam seus ensinos.
Verdade acrescentada = mentira
Verdade diminuída = mentira
Negação da verdade = mentira

Se fosse pecado analisar a palavra, os crentes bereanos seriam um exemplo negativo, como não é esse o caso, analisemos e recusemos tudo que não estiver de acordo com a Bíblia, a verdade revelada.

E ungidos todos somos...
Quando Paulo contou em sua carta que repreendeu Pedro por causa da hipocrisia, contou para servir de exemplo. Falar a verdade não é falar mal. Gálatas cap.2; e na primeira carta a Timóteo cap. 5v20, é recomendado que os presbíteros que vivem em pecado sejam repreendidos na presença de todos; e quanto aos ungidos e profetas intocáveis, eram do Antigo Testamento. O rei Davi era ungido e foi repreendido.
Devo entender que Paulo falava mal da vida alheia? Muitos líderes autoritários tem usado esse argumento de "não toqueis nos meus ungidos" para não serem questionados.
Lembrem-se que em Galátas 2:11-14 Paulo diz que repreendeu Pedro na presença de todos quando ele se tornou repreensível. Ora, Pedro era uma das colunas da igreja(Gl 2:09), Jesus chamou-o para pastorear a igreja nascente (Jo 21:16). Pedro era mais velho na fé do que Paulo e mesmo assim Paulo o repreendeu e mais, ele aceitou quieto. Ungidos somos todos os que aceitamos a Cristo!
Os textos do Antigo Testamento têm que ser interpretados de acordo com seu contexto histórico. Davi não matou Saul, mas também não se submeteu as suas loucuras, de certa forma ele questionou Saul com seu comportamento!
Obedecer cegamente? Não tocar nos ungidos!
É igual a imunidade parlamentar, coisa inventada para esquentar as costas de quem não presta.

O pastor estuprou a própria filha... Não toqueis no ungido!

O pastor mandou matar outro político ... Não toqueis no ungido!

O pastor disse que a bíblia está errada, ele é quem está certo... Não toqueis no ungido!

O pastor diz pra você não beber, mas é dono de uma choperia ... Não toqueis no ungido!

O pastor diz pra você se vestir como crente, mas se veste como playboy ... Não toqueis no ungido!

O pastor diz pra você ser santo, mas está sempre envolvido em denúncia de adultério ... Não toqueis no ungido!

É por isso que os pastores, missionários, cantores, etc estão ficando cada vez mais cara-de-pau e fazendo coisas vergonhosas até para um incredulo, tudo com a complacência dos malditos defensores de ungidos que não procuram nem saber se a denúncia procede para levantarem a bandeira de falsa piedade como se defender homens de Deus lhes desse algum prestígio.

...Julgar sem Preconceito

Se o que Cristo quis dizer com julgar está dentro dos parâmetros que muitos tem colocado contra nossas manifestações, então:
Como vamos ser intolerantes com Jezabel, se não posso julgar -la?( Ap. 2:20 )
Como vamos analisar os frutos de uma árvore, se não posso julgar seus frutos?
Como vou expulsar os falsos profetas da igreja se não posso julgá-los?
Como vou julgar com justiça se nem posso julgar? (Jo 7:24)
Como não vou me associar com aquele que dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou roubador, se para chegar a conclusão de que ele tem estes atributos eu tenho que julgá-lo? (1 Co 5:11)
Como posso tirar do nosso meio, o iniquo, sem antes julgá-lo como tal? (1 Co 5:12)
Não há mesmo ninguém que ouse levar alguém em juízo perante os santos, e resolver as coisas em casa? (1 Co 6:1)
Como Paulo ousa dizer que "E é o que alguns têm sido." sem julgá-los antes? (1 Co 6:11)
Você se envergonha disto: "(I Coríntios 6:5) - Para vos envergonhar o digo: Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos? "
Quando os cristãos vão entender o verdadeiro significado de julgar segundo a justiça de Deus?
Existe uma grande diferença em nos manifestarmos contra os servos de Deus e contra os falsos mestres.

Nunca levantamos de manhã pensando: vamos destruir os servos de Deus.
Pensamos sim em mostrar as pessoas justas da igreja e a sociedade que não somos pessoas manipuladas e hipnotizadas pelos nossos lideres e que se eles erraram então está na hora de arrependerem-se e tentarem reconstruir o que destruíram.

Se não fizerem isto, pode ter certeza, não ficarão defendido por jargões sem fundamentos como "perseguição do diabo", "quem são para julgar" e tantos outras interpretações ridículas.

Jezabel, escute: não vamos mais te tolerar no nosso meio. (Ap 2:20)
Apóstolo Falso, Bispo Falso e Pastor Falso, escute: não vamos mais te tolerar no nosso meio.
. Aparência, popularidade, eloquência, títulos, status, anos de ministério... Nada disso denota que alguém esteja sob a unção de Deus e imune à contestação à luz da Palavra de Deus. Muitos enganadores, ao serem questionados quanto às suas pregações e práticas antibíblicas, têm citado a frase em análise, além do episódio em que Davi não quis tocar no desviado rei Saul, que fora ungido pelo Senhor (1 Sm 24.1-6). Mas a atitude de Davi não denota que ele tenha aprovado as más obras daquele monarca.

Se alguém, à semelhança de Saul, foi um dia ungido por Deus, não cabe a nós matá-lo espiritualmente, condená-lo ao Inferno. Entretanto, isso não significa que devamos silenciar ou concordar com todos os seus desvios do evangelho (Fp 1.16; Tt 1.10,11). O próprio Jônatas reconheceu que seu pai turbara a terra; e, por essa razão, descumpriu, acertadamente, as suas ordens (1 Sm 14.24-29).
O texto de Salmos 105.15 em nenhum sentido proíbe o juízo de valor, o questionamento, o exame, a crítica, a análise bíblica de ensinamentos e práticas de líderes, pregadores, milagreiros, cantores, etc. Até porque o sentido de “toqueis” e “maltrateis” é exclusivamente quanto a causar dano físico.

É curioso como certos “ungidos”, ao mesmo tempo que citam o aludido bordão em sua defesa — quando as suas práticas e pregações são questionadas —, partem para o ataque, fazendo todo tipo de ameaças. O show-man Benny Hinn, por exemplo, verberou: “Vocês estão me atacando no rádio todas as noites — vocês pagarão e suas crianças também. Ouçam isto dos lábios dum servo de Deus. Vocês estão em perigo. Arrependam-se! Ou o Deus Altíssimo moverá sua mão. Não toqueis nos meus ungidos...” (citado em Cristianismo em Crise, CPAD, p.376).

Quem são os verdadeiros ungidos, os quais, mesmo não se valendo da frase citada, têm de fato a proteção divina, até que cumpram a sua vontade?
São os representantes de Deus que, tendo recebido a unção do Santo (1 Jo 2.20-27), preservam a pureza de caráter e a sã doutrina (Tt 1.7-9; 2.7,8; 2 Co 4.2; 1 Tm 6.3,4). Quem não passa no teste bíblico do caráter e da doutrina está, sim, sujeito a críticas e questionamentos (1 Tm 4.12,16).

Infelizmente, muitos líderes, pregadores, cantores e crentes em geral, considerando-se ungidos ou profetas, escondem-se atrás do bordão em análise e cometem todo tipo de pecado, além de torcerem a Palavra de Deus. Caso não se arrependam, serão réus naquele grande Dia! Os seus fabulosos currículos — “profetizamos”, “expulsamos”, “fizemos” — não os livrarão do juízo (Mt 7.21-23).

Portanto, que jamais aceitemos passivamente as heresias de perdição propagadas por pseudo-ungidos, que insistem em permanecer no erro (At 20.29; 2 Pe 2.1; 1 Tm 1.3,4; 4.16; 2 Tm 1.13,14; Tt 1.9; 2.1). Mas respeitemos os verdadeiros ungidos (Hb 13.17), que amam o Senhor e sua Santa Palavra, os quais são dádivas à sua Igreja (Ef 4.11-16).

Quanto aos que, diante do exposto, preferirem continuar dizendo — presunçosamente e sem nenhuma reflexão — “Não toqueis nos meus ungidos”, dedico-lhes outro enunciado bíblico: “Não ultrapasseis o que está escrito” (1 Co 4.6, ARA). Caso queiram aplicar a si mesmos a primeira frase, que cumpram antes a segunda!


Ciro Sanches Zibordi http://cirozibordi.blogspot.com/

Postado no Blog Coisas de Religiosos Fanáticos e Afins:
http://coisasdeacreditar.blogspot.com.br/2009/05/nao-tocar-nos-ungidos.html

Um comentário:

  1. A Paz do Senhor Amigo Sandoval!
    Gostei muito desse texto: "Não toqueis..."
    Muito esclarecedor... É exatamente o que eu interpretava, sobre o assunto!
    Muito obrigada, vc sempre posta temas edificantes.
    O povo de Deus precisa ter o conhecimento sobre esse tema.
    Parabéns!
    Abraço
    Aylde Praxedes

    ResponderExcluir

Muito agradecido pela sua visita. Deus o abençoe.