Um funcionário escavando o local onde será o laboratório de informática
computadores comprados a 4 anos nunca foram instalados

A reportagem do BJM retornou ao Centro Educacional Ministro João Calmon, no bairro de Mandacaru, 15 dias depois de uma reportagem que denunciava a ação de vândalos na destruição do prédio e a falta de ação da Prefeitura de Jequié na manutenção da escola. Depois das denúncias feitas no BJM a situação já começa a mudar, vigilantes está trabalhando  24 horas tomando conta da Escola, evitando a entrada de bandidos; mais homens foram contratados para a construção do laboratório de informática, no dia 23 de novembro tinha apenas uma pessoa trabalhando na obra. A Secretaria de Educação Mirian Rotondano informou que os computadores ainda não foram instalados por falta de espaço e de um técnico do MEC habilitado a mexer nos equipamentos.
ENTENDA O CASO
Vândalos estão destruindo o Centro Educacional Ministro João Calmon, no bairro de Mandacaru, segundo a diretora da Escola, Professora Maria Lídia de Jesus Pereira, os meliantes pulam o muro, que é muito baixo, e durante a noite praticam atos de vandalismo no interior da Escola e quase todos os dias são encontrados cigarros de maconha, cachimbos de crack, preservativos, já foram encontradas também calcinhas, cuecas, carteiras danificadas e parte do patrimônio foi destruído. Outro dia a direção da Escola encontrou uma situação inusitada, além dos bandidos quebrarem o bebedouro, colocaram fezes humanas dentro da tubulação do bebedouro. Carteiras foram pichadas com frases de apologia a drogas e a violência. A direção informou também que diariamente é feita a Ronda Escolar, realizada pela PM, passando na escola durante o dia, mas, a Diretora ressalta que a ação dos bandidos é só durante a noite e a escola não tem vigilante. A reportagem do BJM encontrou 10 computadores novos e amontoados na diretoria da Escola, segundo informações, os equipamentos estão embalados nas caixas a mais de 4 anos, foram enviados pelo MEC para informatização e acesso a internet, os equipamentos não foram instalados por conta da falta de uma sala para abrigar o laboratório de informática. Durante a reportagem presenciamos um único funcionário escavando o local onde será instalado o inforcentro. Os computadores são modelos defasados e foram adquiridos com dinheiro público, as crianças que estudam no João Calmon tem faixa etária entre 5 e 10 anos, que cursam da alfabetização ao ano 3 do ensino fundamental.

A diretora Maria Lídia nos mostrou um classificador com vários ofícios enviados para a Secretária de Educação de Jequié, apontando os problemas vividos na Escola e nenhuma das reivindicações foi atendida pela Secretária de Educação. A PMJ alega que faltam condições para garantir a segurança e promover as reformas necessárias.
Postado no Blog de Júnior Mascote:
MATÉRIA DE AGRADECIMENTO VINCULADA NO BLOG DE "SANDOVAL O PROTESTANTE"