WEB RÁDIO JESUS A VIDA

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

O GOVERNO DA PROPAGANDA NA BAHIA CONTINUA NEGANDO O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DE JEQUIÉ...

Distrito Industrial de Jequié sem solução.


Enormes poças d’água no Distrito Industrial de Jequié. (Foto Agência AM).
Parece que entregaram os pontos, o tempo esta passando e nenhuma solução chega por parte do Governo do Estado para recuperar o Distrito Industrial Rio das Contas em Jequié. Na sua última visita a Jequié o governador Rui Costa afirmou numa entrevista coletiva que iria tomar providencias (mais uma vez), mais até agora não se ouviu falar nada, mesma questão da ponte sobre o Rio das Contas e outras promessas feitas por ele. Esta programado outra visita do governador a Jequié neste mês de janeiro, com certeza ele deverá firmar que já esta tomando providencias. No Hospital Geral Prado Valadares a unica coisa que mudou na obra da emergência foi a pintura e mais nada. Após as poucas chuvas que caíram esta semana em Jequié o que se viu foram os problemas do Distrito Industrial de agravarem, enormes poças d’água próximo aos novos galpões. Até quando vai perdurar esta situação? 

MATÉRIAS RELACIONADAS:
Empresários debatem requalificação do Distrito Industrial de Jequié
http://www.blogmarcoscangussu.com.br/noticia/1183/empresarios-debatem-requalificacao-do-distrito-industrial-de-jequie

Reforma do Distrito Industrial de Jequié ainda é um sonho

Postado do Blog de Ari Moura:

domingo, 14 de janeiro de 2018

BAIANO PRESO EM PORTUGAL TEM RAIZ NA CIDADE DE JEQUIÉ...

Família tenta provar inocência de velejadores presos em barco com mais de uma tonelada de cocaína

Parentes na BA contam que jovens foram contratados por uma empresa para levar embarcação de Salvador até uma ilha em Portugal. Durante inspeção no caminho, droga foi descoberta.
Baianos são presos vítimas de quadrilha de tráfico internacional de drogas
Há cinco meses, parentes de dois baianos tentam provar que eles foram vítimas de uma quadrilha de tráfico internacional de drogas. Os dois foram presos depois que a polícia encontrou mais de uma tonelada de cocaína na embarcação que eles iam levar para uma ilha em Portugal.
Tudo começou após um anúncio de emprego na internet. Foi assim que Rodrigo Dantas, de 25 anos, decidiu encarar o desafio de atravessar oceano Atlântico para entregar um veleiro na Ilha de Açores, em Portugal.
O anúncio procurava velejadores para compor a tripulação do veleiro que tinha acabado de ser reformado em um estaleiro em Salvador. Era uma oferta de trabalho de uma empresa internacional de recrutamento de mão-de-obra.
Rodrigo e outro velejador baiano, Daniel Guerra, foram contratados pela mesma empresa a Yatch Delivery Company, com sede na Holanda. Em Natal, o gaúcho Daniel Dantas se juntou à equipe. Antes de sair do Brasil em agosto, o veleiro passou por inspeções da Polícia Federal em Salvador e em Natal.
Rodrigo Dantas, 25 anos (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Rodrigo Dantas, 25 anos (Foto: Reprodução/TV Bahia)


O barco foi liberado sem que nenhuma irregularidade fosse encontrada, mas na Ilha de Mindelo, em Cabo Verde, na África, o veleiro foi mais uma vez inspecionado e mais de uma tonelada de cocaína foi encontrada escondida em um piso de concreto e cimento na embarcação.
O barco pertence a um inglês, conhecido como Geoge Fox, que só foi apresentado à tripulação na véspera da viagem.
Rodrigo ficou durante quatro meses em liberdade condicional em Cabo Verde, mas na semana passada, ele e os outros velejadores foram presos novamente. "Rodrigo já vivia lá há quatro meses, cumprindo todas as determinações da lei, se apresentando regularmente para assinatura na polícia judiciária", conta.
Durante todo esse tempo, o pai luta para provar que o filho não tem envolvimento com o crime. "Impossível fazer uma obra daquele porte para colocar 1.100kg de cocaína em um barco, depois de Rodrigo fazer o acesso ao barco. Impossível", completa.
Família afirma que narco pertence a um inglês, conhecido como Geoge Fox (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Família afirma que narco pertence a um inglês, conhecido como Geoge Fox (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Rodrigo veleja desde os 12 anos e sonhava ser capitão internacional. Precisava de milhas náuticas velejadas para alcançar a graduação.
A família organizou uma abaixo-assinado on-line em busca de apoio e a mãe dele viaja na noite desta quinta-feira (28) para Cabo Verde para levar apoio ao filho.
"Ele foi vítima do tráfico internacional de drogas e a gente tem todas as provas. A gente tem todas as condições de provar que ele não está envolvido. Nem ele, nem os outros brasileiros", diz a mãe de Rodrigo, Aniete Dantas.
Ainda segundo os parentes dos jovens, o dono do barco, George Fox, está sendo procurado pela Interpol. O caso está sendo acompanhado pela Polícia Federal, mas ainda não há previsão para a transferência dos brasileiros.

Postado do Portal G1.
Imagem relacionada





https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/familia-tenta-provar-inocencia-de-velejadores-presos-em-barco-com-mais-de-uma-tonelada-de-cocaina.ghtml

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

EX-PROCURADOR AFIRMA QUE PCC BUSCA APROXIMAÇÃO COM IGREJAS E PODE INFLUENCIAR ELEIÇÕES

O PCC está muito infiltrado na sociedade


A facção criminosa que atua nos presídios brasileiros chamada Primeiro Comando da Capital, mais conhecida pela sigla PCC, estaria se aproximando das igrejas evangélicas e paróquias católicas através da oferta de dinheiro para realização de festas. A denúncia partiu do ex-procurador Wálter Maierovitch.
Maierovitch concedeu uma entrevista em que fala sobre o cenário atual de influência e poderio econômico do PCC e a possibilidade de influenciar diretamente nas eleições de outubro, quando os brasileiros elegerão um novo presidente, novos governadores, senadores e deputados estaduais e federais.
Resultado de imagem para procurador Wálter MaierovitchSegundo o ex-procurador, que se dedica a estudar o fenômeno social que envolve as facções criminosas, esses grupos têm interesse em se infiltrar no poder político para costurar acordos que reduzam a repressão policial em áreas onde atuam com o tráfico de drogas, por exemplo.
Segundo ele, um acordo desse tipo já vigora na periferia de São Paulo, onde inclusive o PCC estaria buscando aproximação com comunidades de fé evangélicas e católicas: “O PCC está muito infiltrado na sociedade. Em São Paulo, há informações de que ele patrocina festas de igrejas, quermesses. E como toda organização criminosa de matriz mafiosa, o PCC tem poder intimidatório. Como ele controla territórios, quando lança um nome ou uma ordem, as pessoas ficam com medo e obedecem”, afirmou Maierovitch em entrevista à BBC.

O ex-procurador é também ex-professor de Direito Penal da Universidade Mackenzie, em São Paulo, e se aposentou como desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo em 1998 para assumir a então Secretaria Nacional de Políticas Antidrogas, no governo FHC. Como tem dupla cidadania, será candidato a deputado na próxima eleição para o Parlamento italiano, em março.

Postado do Blog Gospel Mais:
Resultado de imagem para gospel mais

https://noticias.gospelmais.com.br/pcc-igrejas-influenciar-eleicoes-ex-procurador-94858.html


terça-feira, 9 de janeiro de 2018

SEGUNDA PONTE SOBRE RIO PARAGUASSÚ NA BR-116.

Segunda ponte sobre Rio Paraguassu esta pronta. (Foto Agência AM).

A segunda ponte que estava sendo construída sobre o Rio Paraguassu na BR-116 altura do Km 498 já esta pronta. Deve começar a ser utilizada na próxima semana, informação de um operário que trabalhava nos últimos preparativos na segunda-feira (08.01.) para que a ponte seja utilizada e o transito venha ser melhorado no local. Mesmo com a paralisação das obras de duplicação a mais de 2 anos nos 69 Km entre o Paraguassu e Feira de Santana aonde 19 Km estão parados sem a Via Bahia dar nenhuma explicação sendo notificada pelo Ministério dos Transportes através da ANTT-Agência Nacional de Transportes Terrestres desde a época do ministro César Borges que autorizou a notificação. O inicio em operação da 2ª ponte sobre o Rio Paraguassu aumenta as esperanças de quem trafega pela BR-116 que a duplicação tenha prosseguimento em direção a Milagres e quem sabe Jequié.

Postado do Blog de Ari Moura:

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

OS PLANOS OCULTOS PARA AS ELEIÇÕES 2018 FAZEM O BRASILEIRO SANGRAR ATÉ A MORTE...

Saúde e educação perdem R$ 472 milhões para campanhas



O fundo eleitoral bilionário criado para bancar as campanhas políticas com recursos públicos retirou R$ 472,3 milhões originalmente destinados pelos parlamentares para educação e saúde neste ano. Deputados federais e senadores, quando aprovaram a destinação de verbas para as eleições, haviam prometido poupar as duas áreas sociais de perdas. 


Elza Fiúza/ABr
Elza Fiúza/ABr


Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que o fundo receberá R$ 121,8 milhões remanejados da educação e R$ 350,5 milhões da saúde. O valor corresponde à transferência de dinheiro das emendas de bancadas - que seria destinado a esses setores - para gastos com as campanhas eleitorais deste ano.



O fundo, aprovado em 4 de outubro do ano passado, é uma alternativa à proibição das doações empresariais e receberá, no total, R$ 1,75 bilhão. Desse montante, R$ 1,3 bilhão sairá das emendas de bancada, cujo pagamento é obrigatório pelo governo, e R$ 450 milhões da isenção fiscal que seria concedida a rádios e TVs para veicular programas partidários. 

O dinheiro será distribuído aos partidos de acordo com o tamanho de suas bancadas na Câmara e no Senado. A criação do fundo é contestada por ação que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), sob a relatoria da ministra Rosa Weber. Ela decidiu levar o caso ao plenário da Corte e ainda não há data para o julgamento. 

A verba retirada da saúde para abastecer o caixa das campanhas seria suficiente, por exemplo, para arcar com a construção de 159 novas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), com sete leitos, dois médicos e atendimento médio de 150 pacientes por dia ou financiar 859 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). 

Os recursos que deixaram de ser aplicados em educação equivalem a 34% de todos os pagamentos que o governo realizou no ano passado no Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância): R$ 355 milhões, conforme dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O dinheiro serve para construir e equipar creches. 

A Secretaria Estadual da Saúde do Espírito Santo perdeu, por exemplo, R$ 15,7 milhões para a compra de ambulâncias. Em Goiás, o programa Caminho da Escola, que compra ônibus e bicicletas para transporte escolar em núcleos rurais e periféricos, não terá R$ 18,7 milhões. 

Os principais articuladores da reforma política, quando a proposta tramitou no Congresso Nacional, afirmaram que as duas áreas não seriam prejudicadas. "Não aceito que mexa um centavo de saúde e educação", disse à época o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). Um dos idealizadores do uso das emendas como fonte de recursos, o Senador Romero Jucá (MDB-RR), líder do governo Michel Temer, também rechaçou as perdas: "A proposta que eu fiz não tira dinheiro da educação, da saúde, de lugar nenhum". Procurados, eles não foram encontrados para comentar o assunto. 

Outras áreas 

Além das verbas de saúde e educação, R$ 828 milhões foram retirados de áreas como segurança pública, infraestrutura, obras contra a seca e agricultura. Com o remanejamento de emendas de outras áreas, deixarão de ser comprados equipamentos operacionais e viaturas para a Polícia Militar do Rio (R$ 24,3 milhões). Serão retirados também R$ 33,6 milhões destinados para a construção de batalhões da PM e do Instituto Médico-Legal (IML) no Distrito Federal. No Nordeste, a construção do sistema adutor do Rio Piancó pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS) teve R$ 10 milhões retirados. A obra deve levar água da transposição do Rio São Francisco para 18 municípios paraibanos. 

O Ensino Superior também foi afetado. A Universidade Federal do Acre (UFAC) teve R$ 6 milhões transferidos e a Universidade Federal do Amapá (Unifap) ficou sem a emenda que previa R$ 27 milhões para a conclusão das obras do Hospital Universitário. A expansão dos câmpus da Universidade Federal do Espírito Santos (UFES) perdeu R$ 33 milhões. 

Emendas impositivas 

De acordo com o governo, as emendas são impositivas, ou seja, após aprovadas, têm de ser pagas. A definição sobre seu destino, no entanto, cabe ao Congresso, e o governo não se pronuncia sobre o assunto. O Orçamento dos ministérios não muda com o fundo. Em reportagem publicada ontem, o Estado mostrou que, desde 2014, o valor liberado de emendas parlamentares foi o maior em 2017. 

Para chegar ao valor retirado da saúde e da educação, o levantamento feito pelo jornal comparou a dotação das emendas originais apresentadas pelos parlamentares com o que foi aprovado na Comissão Mista do Orçamento (CMO) e no plenário do Congresso Nacional. 

Cada uma das 27 bancadas apresentou duas emendas impositivas, que somavam R$ 162,4 milhões. Como esse recurso não precisa obrigatoriamente ser investido em uma área específica, houve uma redução proporcional de 30% no valor para ser destinado ao fundo eleitoral, como determina a nova lei. Somente a bancada paranaense apresentou suas emendas já prevendo uma parte dos recursos para o fundo eleitoral. 

Em novembro, reportagem do jornal antecipou que o impacto mínimo só na área da saúde seria de R$ 70 milhões. O montante final dependia da fase de discussões que os parlamentares realizaram em dezembro na Comissão Mista do Orçamento. Como os parlamentares não optaram por priorizar as áreas sociais, poupando-as do remanejamento para custear as campanhas eleitorais, o valor total subiu. 

O presidente da CMO, Senador Dario Berger (MDB-SC), e o relator da Lei Orçamentária Anual de 2018, Deputado Cacá Leão (PP-BA), fizeram um acordo para realizar um corte homogêneo sobre as duas emendas de cada bancada, sem sacrificar apenas uma delas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Agência Estado

Postado do Portal Bonde: